segunda-feira, 4 de maio de 2009

Resumo: Escrita acadêmica: arte de assinar o que se lê

Neste texto, a autora Rosa Maria Bueno Fischer se valerá de indagações a respeito da escrita acadêmica, e a forma como quem escreve, se posiciona perante as idéias e afirmações ali contidas, trazendo a experiência de seu trabalho cotidiano de orientação de mestrandos, doutorandos e de bancas acadêmicas.
Ela ressalta sua preocupação para a verdadeira “paixão daquele que cria” e ainda, faz de seu texto não apenas fonte de pesquisa ou informação, mas sim, munido de vasto conhecimento e discursos de seu tempo, atenta para a “leitura assinada” trazendo a importância da identidade daquele que escreve, para quem escreve. Para tanto, ela traz discussões de filósofos (as) como Marilena Chauí, Michel Foucault entre outros, destacando este último para a força da escrita, como ato de alguém se mostrar, de fazer aparecer para o outro e para si mesmo (p.119).
Uma parte importante no texto é a de como nos apossamos (no bom sentido) de autores, utilizando para isso partes de sua obra, nós a reescrevemos, submetemos à discussão uma teoria, que vai além do que o próprio autor escolhido elegeu – pois nossa história e objetivos são outros, assim como as escolhas que estou fazendo quando resumo este texto parte de uma pré seleção minha, e nunca serão necessariamente as mesmas feitas por outros pesquisadores. A escrita acadêmica, assim como qualquer investigação desenvolvida por uma boa curiosidade rígida, epistemológica (citando Paulo Freire), necessita de uma superação por parte daquele que lê de seu orientador, indo além de papaguear o lido, ou apenas repetir trechos de recortes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário